13 de fev de 2009

PARTE 15 - PREPARATIVOS MOCHILÃO FRANÇA - CIDADEZINHAS

CINQUE TERRE - Itália

Sair dos centros turísticos também nos proporciona uma identidade totalmente diferente dos moradores de um país. Assim como eu, moradora da cidade de São Paulo, sinto o calor da recepção nordestina, você também sentirá diferença entre visitar Paris e Rennes, lugares que visitei. Apesar de Rennes ser uma cidade turística, não tem comparação com Paris. É uma cidade menor, com construções bem antigas, bastante idosos, ruas estreitas, lojinhas, bares em casas mais que tricentenárias. Existem turistas, sim, mas em bem menor número que em Paris. Grande parte dos turistas não se aprofunda na verdade de um País. Mantém-se na superfície e ficam felizes. O mochileiro não deve se contentar com isso. É um estudioso de campo, um antropólogo, um pesquisador.


Sente em um café, peça uma taça de VINHO e aprecie os transeuntes. TOME este momento junto a sua bebida d-e-v-a-g-a-r-i-n-h-o. É uma sensação muito boa. Tente puxar uma conversa bem atrapalhada com seu garçon. Se ele estiver pouco atarefado e for um “local” certamente retribuirá simpaticamente seu esforço. Não estude seu mapa de imediato. Realmente absorva o ar concentrado e faça deste momento dias de lembranças para o resto de sua vida. Será um lugar na sua mente que você buscará em dias mais atribulados. Você lembrará saudoso deste café e procurará fazer mais vezes isto em seu dia-a-dia. É que isto é possível sempre, mas não pensamos nisso. Dificilmente paramos em uma padaria de bairro para tomar um cafezinho, comer uma barquinha (pão com manteiga na chapa), e deixamos minutos preciosos passarem. É a nossa correria. Será que isto, de correr sem parar, é sempre tão necessário? Dar uma palavrinha trivial com o atendente é tão maçante assim? Muitas vezes não. Por que evitamos uma conversa na fila, com o vizinho do banco do ônibus, um bom dia para o motorista e o cobrador do ônibus? Vocês imaginam quanta informação e boas energias perdemos, por dia, evitando interação com o outro? Conhecer seus vizinhos, o comportamento das pessoas com quem convivemos em um micro cosmo? Isto facilita nossa vida no mundo mais do que podemos perceber. Feliz daquele que é aberto a novas experiências, daqueles que arriscam mais do que falar com a pessoa “certa”. É que na verdade a pessoa certa é qualquer pessoa.


Então está aí a sugestão: nada de somente visitar grandes pólos turísticos. Eles têm muita fachada. São feitos para agradar o público geral. Você deve ser profundo para ser mais profundo em si mesmo. Ser mais forte para enfrentar qualquer tipo de gente e qualquer tipo de situação. Ás vezes pode dar tudo ao contrário do que planejou. Está pensando que estou falando de algo negativo? Nada disso. Tudo deve ser sempre levado para o positivo. É fazer o mundo conspirar ao nosso favor e transformar tudo sempre em algo perfeito e maravilhoso.


CORFU - GRÉCIA

Conheça o mundo desnudo de suas pinturas. A maioria das vezes ele é mais lindo do que você imagina. E será você mesmo quem fará ele assim, com sua visão limpa de preconceitos e de receios.


Sorte em sua pesquisa.

Sorte em seu novo e confiante mundo.



V for Verônica

Nenhum comentário:

Postar um comentário