13 de fev de 2009

PARTE 11 - PREPARATIVOS MOCHILÃO FRANÇA - MUSEUS

Pitti - Florença-Itália - obra de Botero

Bem, para se pegar o mínimos de gosto, ou de treino, deve-se começar pelos museus de sua cidade. Aprenda a apreciar um museu. Você deve reservar dia(s) para fazê-lo. Vá com um sapato confortável, aprecie a arte, leia as placas e as informações sobre o autor, sente-se quando estiver cansado ou não vai mais querer ver nada.
e
Se você não é adepto de museus, opte por visitar o(s) mais conhecido(s) do lugar e pronto. No caso da França, o LOUVRE. Agora, saiba que existem centenas de museus pela França. Eu achei lindo o Museu dos Inválidos. Tem o Museu d'Orsay, Museu Rodin......

Pesquise um pouco sobre os artistas que têm obras no museu que for visitar, tenha idéia do tamanho do local. Você descobre isso pela internet. Por exemplo, para visitar o acervo do Louvre, "male male", você precisará de um dia inteiro. Você pode sair para comer e voltar depois com seu ingresso. Você pode comprar ingresso para mais de um dia. Pesquise.

Fotografar é permitido em algumas salas. Dê uma de mané e fotografe também a Monalisa (La Gioconda). É proibido. Não sei o porquê. Ah, tem obras menos famosas, mas muito mais maravilhosas (em minha opinião) que esta. Eu sou fã de Caravaggio, Bosch, Bruegel, Egon Schielle. Tem as esculturas, a parte egípcia que é muito interessante....ENORME, enfim.

Estude um pouco de arquitetura também. Você encontrará partes de templos, construções, não só dentro dos museus, como pelas cidades. Saiba que toda cidade da Europa é meio que um museu ao ar livre. Saiba decifrar, colunas, pináculos, arcos, ogivas, estilos de construções. Isso denuncia épocas, costumes. Faz com que você se situe no tempo e compreenda melhor o que se passou em outros tempos.

As igrejas também (visito poucas) são grandes acervos de arte sacra! Esculturas perfeitas, Turíbulos, assentos com brasões de famílias que ofereceram "agrados" para a construção, ou reforma de igrejas, vitrais com detalhes bíbliocos, ou apenas com combinações de cores que tornam perfeita a entrada de luz.

Os parques da cidades, com suas árvores e arbustos bem cortados, a simetria das ruas...Por que? Pesquise! Pesquise tudo!

Vale a pena entrar em, ao menos, um museu para saber um pouquinho da história tanto do lugar, como de outros lugares do mundo. Talvez você vire um viciado como eu. Pode ser um museu de uma portinha só. Eu piro! Tenho que ver. Mesmo que somente uma obra me interesse. Sinto-me satisfeita por estar em tão grande proximidade a uma arte de alguém que admiro e que me emociona por sua genialidade.

Aqui vai uma página da wikipedia com endereços de museus do Brasil. Vamos começar: MUSEUS DO BRASIL E DO MUNDO




Pintura de Hyeronimus Bosch - Nau dos Insensatos - no Louvre.
A coruja, na árvore - sinal do mal -
Aqui, Bosch imagina que toda humanidade está viajando pelos mares do tempo em um pequeno barco, representando a humanidade. Infelizmente, todos os representantes são tolos. Esta é a forma como vivemos, diz Bosch - comemos, bebemos, flertamos, enganamos, jogamos jogos idiotas, perseguimos objetivos inatingíveis. Enquanto isso, nosso navio segue a deriva e nunca chega a porto algum. Os tolos não são descrentes, uma vez que temos entre eles um monge e uma freira, mas eles são dos que vivem na estupidez. Bosch ri, mas de tristeza. Quem de nós não navega no desconforto do navio da loucura humana? Excêntrico e gênio secreto que era, Bosch não somente tocou o coração, mas escandalizou-nos para avisar-nos. As coisas monstruosas e sinistras que ele nos apresentou são as criaturas escondidas de nosso amor próprio: ele externa a feiura interna, e desta forma seus demônios têm um efeito além da curiosidade. Sentimos uma odiosa empatia por eles. A nau dos insensatos não é sobre outras pessoas. É sobre nós mesmos.

Ci vediamo!


V for Verônica

Nenhum comentário:

Postar um comentário