13 de fev de 2009

CULTURA POP - FILMES COM ESPÍRITO MOCHILEIRO. LIVRO COM ESPÍRITO VIAJANTE.

Já disse que sou influênciada pelas artes e o cinema é um dos prazerosos responsáveis por lugares que tenho curiosidade de conhecer. Mas gostaria de falar de um filme em particular que traduz profundamente o espírito mochileiro em que você segue o sopro do vento, conhece alguém por acaso, encontra nele uma pessoa maravilhosa, porque as pessoas preferencialmente na primeira impressão mostram o seu melhor, filosofa seus pensamentos mais profundos, aqueles dos quais você não tem coragem de contar para conhecidos porque vão achar que você é louco ou idiota, e ao final de um dia, se despede dela, sem saber se a reencontrará um dia, em algum lugar no mundo.
O filme se chama "Antes do Amanhecer", do diretor Richard Linklater, de 1995.

Para quem está esperando um filme de ação, cheio de acontecimentos, os fãs de Vin Diesel, por exemplo, ou de filmes onde você só ri e nada é tão importante, este filme será sacal. É como botar na boca um doce e descobrir imediatamente que é um salgado. Então, já estou avisando que você tem que estar com o espírito para se agradar do filme. São divagações intermináveis sobre a vida, com a cidade de Viena ao fundo, quase nenhuma trilha sonora (só o som natural da cidade), dois personagens e o que acontece realmente quando você faz um mochilão. Juro para vocês! Assisto este filme quando estou com saudades de minhas viagens e me dá até um negócio, uma agonia. Aquela coisa de você decidir na hora o que vai fazer, mostrar o seu melhor, aproveitar ao máximo seu passeio, interagir com a cidade. O ruim é ir embora. Se despedir de uma pessoa que em poucas horas te cativou para toda a vida.

Tenho vários encontros desses ocorridos em minhas viagens. Curtos momentos com pessoas gigantes que estão aqui, na minha cabeça. A maioria das vezes não esqueço de fotografar seus rostos, pois tenho medo de perder na minha péssima memória as suas expressões, coisa que o Alex, o mochileiro cego que conheci na Irlanda, teve retratada por suas mãos. Quando nos despedirmos ele pediu licença para me "ver" e moldou meu rosto, ombros e braços com suas mãos. Acho que ninguém nunca me viu tão bem.

Vão lá ver o filme, vá. Tem ele todo no youtube em inglês. E tem a continuação dele, feita nove anos depois. Chama-se Antes do Pôr do sol.

Este é um dos muitos filmes que passam essa vibe boa sobre mochilão. De vez em quando falarei sobre eles aqui.

Sobre livros, gosto do O LOBO DO MAR, de Jack London. Ele também escreveu CANINOS BRANCOS, O CHAMADO DA SELVA.

Jack London foi um mochileiro extremo e de suas jornadas nos presenteou com uma literatura de aventuras possíveis, desafios, respeito a natureza, e aprendizados de estrada. Veja que disse de "SUAS JORNADAS". É muito bom apreciar filmes e livros, mas é muito mais importante realmente vivenciar suas próprias jornadas. Nunca se esqueça disso! Desafie a misantropia. Sabem o filme

Filmes mochileiros ou com personagens livres. Clique na foto para assistir ao trailer:

"Americano" é centrado na personagem Chris McKinley, um jovem estadunidense que recém concluiu a Faculdade, foi mochilar pela Europa e saboreia seus três últimos dias de liberdade antes de voltar à realidade e busca de carreira nos Estados Unidos. Em Pamplona junto a dois amigos, Chris conhece uma Australiana em busca de emoção, uma beleza espanhola incomum e um enigmático provocador, pessoas que o encorajam a repensar seus planos. Conforme os minutos de sua aventura estão acabando uma pergunta muito comum começa a maturar: Será que ele deveria seguir a vida de forma ordinária ou arriscar tudo por uma estrada menos utilizada? Joshua Jackson (Dawson's Creek)... Chris McKinley Leonor Varela ... Adela Timm Sharp ... Ryan Ruthanna Hopper ... Michelle Dennis Hopper ... Riccardo

"Albergue Espanhol" - Xavier tem 25 anos e está terminando o curso de Economia. Um amigo de seu pai lhe oferece um emprego no Ministério da Fazenda, mas para assumir o posto ele precisa saber a língua espanhola. Ele decide acabar seus estudos em Barcelona, para aprender a língua. Para isso vai ter que deixar Martine, sua namorada há quatro anos. Ao chegar em Barcelona Xavier procura um apartamento no centro da cidade e acha um em que deve morar com sete estudantes, todos estrangeiros. Com eles Xavier vai descobrir a autonomia, muita gente diferente, uma nova cultura, a sexualidade e iniciar a vida adulta. Com Romain Duris (Xavier)Judith Godrèche (Anne-Sophie) Audrey Tatou(Martine)Cécile De France (Isabelle)

"Curtindo a liberdade" - Filme bobinho, mas com uma vibe mochileira. Anna Catherine Foster tem 18 anos e o seu pai, James Foster é presidente dos Estados Unidos. Ele põe vários agentes para garantir a segurança da filha, mas após Anne ver seu último encontro ser atrapalhado pelos seguranças, se irrita e seu pai promete que apenas dois agentes vão cuidar da segurança dela. Só que ela vai numa balada e vê um monte de segurança vigiando ela. A familia está em Praga pra uma reunião do G8. Irritada por seu pai ter quebrado a promessa, ela foge do lugar com a ajuda de Ben Calder, que também é um agente e recebeu ordens do presidente de ficar o tempo todo com Anne e nunca revelar sua identidade. Ele tá trajado como um típico mochileiro. Assim ela teria a sensação de liberdade, mas seria uma liberdade vigiada. Só que nem tudo sai como o planejado. Sessão da tarde.

"Lendas da Paixão" - Três irmãos, três destinos. Alfred (Aidan Quinn) é o reservado, o caçula Samuel (Henry Thomas) é o protegido, e o do meio, Tristan (Brad Pitt), aprendeu com os índios a ter um espírito aventureiro. Ao trazer de volta para o rancho do pai (Anthony Hopkins) uma bela jovem (Julia Ormond), Samuel inicia um conflito de paixões que pode terminar em tragédia para sua família. Bem bonito o filme. E o negócio é que dá pra sentir o desprendimento de Tristan com as coisas e a necessidade dele de
seguir adiante, tanto para esquecer como para viver melhor
.

"As Pontes de Madison" - Quer sentir o que é um espírito viajante? Este é "o cara"! Contratado para fotografar as pontes do Condado de Madison, Robert Kinkaid, da National Geografic, encontra Francesca, uma italiana que se casou com um estadunidense que conheceu em sua terra natal durante a segunda guerra mundial. Ela, espírito livre, preso a uma vida de dona de casa, vê em Robert sua porta para a liberdade, tanto de enxergar o mundo, como sentir a força de uma paixão avassaladora. Vão ver que é romântico....



E no ano da França no Brasil, muito legal assistir este filme À Francesa, baseado no livro "Le Divorce", de Diane Johnson.
Isabel Walker (Kate Hudson) é uma jovem americana que parte para a França na intenção de visitar sua irmã, Roxeanne (Naomi Watts), que está grávida e foi recentemente abandonada pelo marido (Melvil Poupaud). Ao chegar Isabel se apaixona por Edgard (Thierry Lhermitte), um diplomata francês que é casado e também tio de Roxeanne. Juntamente com a irmã, Isabel passa então a conhecer os principais locais de Paris e frequentar seus principais acontecimentos sociais.
"EUROTRIP" - Filme tonto, mas engraçado. Após se formar no 2º grau, Scott Thomas pensa em passar o verão com Fiona , sua namorada. Porém ela lhe dá um pé nos fiofó. Para piorar Scott segue os conselhos de seu melhor amigo, e manda um e-mail desaforado para um amigo de internet, Mieke, que mora em Berlim, pois acha que ele é gay. Só então descobre que Mieke é uma bela jovem, mas não pode nem tentar se retratar, pois seu e-mail foi bloqueado por ela. Assim ele decide ir até Berlim achar Mieke, juntamente com Cooper. Viajando de um jeito econômico(MOCHILÃO), eles vão primeiro para Londres, que seria a etapa 1 de muitas confusões na tentativa de achar Mieke. Com Scott Mechlowicz como Scott Thomas, Jacob Pitts como Cooper Harris, Kristin Kreuk como Fiona (ou Lana Lang de Smallville), Matt Damon como Donny (Jason Bourne),Michelle Trachtenberg como JennyTravis e Wester como Jamie

A vida não leva um século. Quanto antes aproveitarmos para conhecer, verdadeiramente viver, melhor para nós.

Sorte e bom sábado!

V for Verônica

2 comentários:

  1. Tem um outro filme que é meio que um mochilão retratado: Na Natureza Selvagem! Ele é muito bom, mas também, bem triste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Antonio!
      Sim! Assisti o filme, não quis ler o livro e te digo que, acredito que, pelos motivos que fizeram SUPERTRAMP fazer a super viagem, não fiquei com a sensação de um mochilão, mas de um sabático bem específico, sem muitas das características que daria para uma viagem independente. Daí não ter citado o filme aqui. A história vai mais de uma fuga de si e da realidade que vivia Chris. Longe de dizer que as experiência que ele teve a gente não tem num mochilão, mas os motivos foram bem diversos. Num mochilão vc muitas vezes não busca nada e descobre coisas, outras vezes vc quer algo diferente na sua vida e sempre encontra. Agora, fugir da tua realidade, querer ser outro e esquecer tudo não vale. O mochilão faz de vc mais do q vc já é. Faz vc se descobrir muito maior. Chris queria ser outro alguém. A vida dele não valia; precisava de algo novo. De qq forma, se não virmos a parte da fuga, ele faz sim um mochilão sabático, sem data pra voltar. E vc? Já fez teu mochilão?

      Excluir